Nos estados unidos, um preso muçulmano foi barbaramente agredido por um outro detido. Três guardas prisionais assistiram a tudo e não fizeram nada.

Tudo se passou em Janeiro numa prisão de Idaho, no noroeste dos Estados Unidos. A também conhecida como casa de correcção do Estado foi palco de uma cena de espancamento protagonizada por um prisioneiro branco a um outro muçulmano.

Hanni Elabed tem 24 anos sofreu danos cerebrais irreparáveis, perdas de memória permanentes.

O que se passou foi captado por uma câmara de vigilância. O vídeo agora divulgado foi visto pela família da vítima, Hanni Elabed, que o identificou e por isso apresentou queixa em tribunal.

A denuncia é feita contra o agressor, mas também contra três guardas que viram tudo e não se mexeram. Só quando o agressor decidiu parar de bater é que alguns guardas apareceram para o deter e para carregar a vítima.

O FBI decidiu abrir uma investigação mas mostrou-se conta a divulgação do vídeo por considerar que põe em causa a segurança dos guardas prisionais.
Redação