Uma equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) está na China para investigar as origens da Covid-19. De acordo com a CNN, os especialistas tiveram "longas discussões" e conversas com cientistas de Wuhan, cidade onde o surto foi originalmente detetado.

Segundo um porta-voz da OMS, as reuniões incluíram atualizações de uma pesquisa sobre a saúde dos animais. Recorde-se que a China fechou um mercado de animais selvagens em Wuhan, no início do surto, um dia depois de ter descoberto que alguns infetados eram vendedores e fornecedores.

A OMS disse que, provavelmente, o vírus surgiu dos morcegos e teve outro animal portador, chamado intermediário.

À espera de conclusões

Agora, escreve a CNN, os resultados desta investigação são aguardados com "ansiedade" e "expectativa" por cientistas e pelos governos e todo o mundo, em especial o dos Estados Unidos, de onde surgiu a maior pressão.

“A equipa teve longas discussões com seus correspondentes chineses e recebeu atualizações sobre estudos epidemiológicos, análises biológicas e genéticas e sobre investigações respeitantes à saúde de animais”, disse Christian Lindmeier, aos jornalistas, explicando que isso incluiu reuniões por vídeo conferência com virologistas e cientistas de Wuhan.

Esta primeira missão, que terá a duração de três semanas, contará com dois especialistas em saúde animal e epidemiologia, e terá como objetivo preparar o terreno para uma equipa mais ampla de especialistas chineses e internacionais que tentará descobrir como é que o vírus que causa a Covid-19 atravessou a barreira das espécies animais para humanos.

De acordo com os dados mais recentes, a Covid-19 já matou 700 mil pessoas em todo o mundo e já infetou mais de 18 milhões.

Lara Ferin