O Chipre comprometeu-se a pagar todas as despesas de férias a quem tiver um resultado positivo para o novo coronavírus, depois de já estar instalado no país.

Numa carta pública divulgada esta quarta-feira, o governo anunciou que, mediante aquela situação, pagará os alojamentos, os medicamentos e a alimentação dos doentes e das suas famílias.

Os turistas “apenas terão de suportar os custos da viagem até ao aeroporto e o voo de regresso a casa”.

Os turistas "precisarão apenas suportar o custo de sua transferência para o aeroporto e voo de repatriamento".

A medida agora anunciada faz parte de um pacote destinado a atrair visitantes à ilha, que registou poucos casos.

De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, o país registou 939 infeções e 17 mortes.

No ando passado, o turismo representou cerca de 15 por cento do PIB e, portanto, o governo está a esforçar-se para fazer voltar os turistas o mais rápido possível.

“O sucesso é enorme e estamos a tentar dar o nosso melhor agora e fazer tudo o que pudermos pelo resto da temporada”, afirmou o vice-ministro do Turismo, Savvas Perdios.

“Aqui trabalhamos muito para manter o vírus sob controlo”, adiantou.

Além das férias pagas, as autoridades locais disseram que um hospital seria reservado especificamente para turistas infetados, além de “vários hotéis de quarentena” para os familiares dos doentes.

Lara Ferin