Desde o início da pandemia do novo coronavírus que os investigadores têm descoberto uma série de substâncias e produtos capazes de “conter” o novo coronavírus, evitando os riscos de transmissão. Agora, um grupo de cientistas alemães está a tentar provar que alguns elixires destinados à higiene oral diária são capazes de inativar o vírus, pelo menos em laboratório.

A descoberta, que ainda tem um longo caminho de investigação pela frente, foi publicada pelo Journal of Infectious Diseases.

Para o estudo, os investigadores analisaram oito elixires bucais com diferentes fórmulas, à venda em várias farmácias e supermercados da Alemanha. Em cada teste, o produto foi misturado com partículas do novo coronavírus e uma substância que recriava o efeito da saliva na boca. Essa mistura foi, depois, agitada durante 30 segundos, simulando o tempo médio de um ato de bochechar.

Os especialistas ressalvaram que o uso destes elixires - pelo menos o das marcas testadas pela pesquisa - poderia reduzir a carga viral e diminuir o risco de transmissão da Covid-19.

“Bochechar (nunca ingerir) com elixir bocal não pode inibir a produção de vírus nas células, mas pode reduzir a carga viral, no curto prazo, de onde vem o maior potencial de infeção, ou seja: a cavidade oral e a garganta - e isso pode ser útil em certas situações, como no dentista ou durante o atendimento médico de pacientes com COVID-19", explicou Toni Meistero, um dos cientistas envolvido no estudo.

Nos resultados que já foram apresentados, todos os produtos testados conseguiram reduzir a concentração do vírus nas amostras. Além disso, três dos elixires conseguiram mesmo eliminar o vírus das amostras, conforme mostraram as análises.

Lara Ferin