Tudo começou a 6 de março, quando Khaled e Peri se casaram no Cairo, a capital do Egipto.

Depois da cerimónia, passados alguns dias, o casal que vive no Dubai, partiu em lua de mel para Cancún, no México. Na altura, a preocupação acerca do novo coronavírus ainda era distante, à medida que a doença se espalhava pelo mundo.

O casal não esperava que a pandemia fosse alterar os seus planos, numa altura em que os governos começavam a adotar medidas para conter a propagação do novo coronavírus e o Dubai restringiu o regresso dos cidadãos.

Em entrevista à BBC, Peri conta que começaram a receber mensagens de familiares e amigos que os questionavam se eles conseguiriam voltar para casa. Nessa altura, o casal já tinha saído do México em direção a Istambul, na Turquia, onde depois apanhariam o voo de ligação até ao Dubai. Mas foi aí que não conseguiram entrar no voo de regresso.

Sem hipótese de voltar para casa, e depois de passarem dois dias presos naquele aeroporto, o casal começou a pesquisar que países permitiam a entrada de pessoas do Egipto, sem necessidade de visto e havia uma opção, as Maldivas.

Casal chega às Maldivas

Ao chegar ao resort de uma das ilhas, o casal percebeu que estava entre os poucos hóspedes que aguardavam voos de regresso a casa.

Depois de terem sido transferidos para outra ilha, o casal tem passado o último mês num resort na ilha de Olhuveli e agradecem a todos os funcionários.

“Eles estão têm-se esforçado para melhorar esta experiência. O DJ toca todas as noite, mas eu até me sinto mal porque não há ninguém a dançar”, conta Khaled.

Nesta altura, o casal ainda vive em tempos de incerteza. Não há previsão de regresso e ir para o Egito significaria passarem 14 dias em isolamento. E mesmo assim não poderiam voar para o Dubai porque ainda não receberam resposta para o pedido de regresso. 

Lara Ferin