A União Europeia (UE) registou quase 300 mil mortes em excesso entre março e outubro de 2020 quando comparado com a média do mesmo período entre 2016 e 2019, com o pico no mês de abril, em que morreram mais 25 por cento de pessoas.

A mortalidade em excesso, medida a partir da média dos três anos anteriores, foi díspare ao longo de 2020 entre os estados-membros, com Portugal a atingir picos nos meses de julho e novembro, de acordo com dados estatísticos divulgados esta quarta-feira pela Comissão Europeia, em que se contam 297.500 mortes em excesso na UE entre março e outubro.

Em julho, a mortalidade em Portugal foi 25,3% superior ao período homólogo de referência, muito acima da média europeia de mortalidade em excesso para esse mês, que ficou nos 2,9%, enquanto em novembro a mortalidade em excesso em Portugal voltou a disparar para 25,5% acima da média dos três anos anteriores.

O pico de mortalidade em abril nos 27 países da União coincidiu com a primeira vaga da pandemia da covid-19, assinala a Comissão.

/ JGR