O primeiro-ministro francês, Jean Castex, suspendeu esta terça-feira os voos entre França e o Brasil até nova ordem devido a uma crescente preocupação com a a variante do SARS-CoV-2 detetada no país sul-americano.

Sabemos que a situação se está a agravar e decidimos, portanto, suspender até nova ordem os voos entre o Brasil e a França", anunciou o primeiro-ministro que falava na Assembleia Nacional.

Esta decisão do Governo gaulês surge depois de vários especialistas criticarem a falta de controlo sanitário das pessoas que chegam a França nos voos oriundos do Brasil.

Cerca de 10 voos semanais ligavam até agora os dois países, operados pela Air France.

Até agora, para chegar a França, os viajantes vindos do Brasil, exceto nacionais franceses, precisavam de apresentar uma razão essencial para viajar, assim como um teste PCR negativo e uma declaração de honra atestando que cumpririam 10 dias de quarentena, mas sem qualquer verificação por parte das autoridades. 

Desde o início de abril, os passageiros eram ainda submetidos a um teste rápido no aeroporto Charles de Gaulle.

No entanto, estas medidas não são suficientes, segundo vários especialistas que se mostram preocupados com a progressão da pandemia no Brasil e a possível disseminação em França da variante inicialmente detetada no Brasil.

"Se formos contaminados na véspera ou antes, vamos estar em período de contaminação, portanto assintomáticos e, logo, não será possível detetar o vírus através do teste", explicou Remi Salomon, presidente da Comissão Médica dos Hospitais de Paris (AP-HP), em declarações ao jornal "Le Parisien".

Desde o início da pandemia morreram em França 99.135 pessoas devido à covid-19.

O Brasil, o segundo país mais afetado pela pandemia após os Estados Unidos, já registou 354.617 mortes e 13.517.808 casos de contaminação.

/ MJC