A Islândia proíbe a partir de agora a entrada no seu território de viajantes de 16 países considerados zona de “alto risco” de contaminação pela covid-19, anunciou esta terça-feira o Ministério da Justiça.

Até 31 de maio de 2021, todos os estrangeiros provenientes ou que tenham estado, durante mais de 24 horas nos 14 dias anteriores, numa zona onde a taxa de incidência da infeção a 14 dias é superior a 700 pessoas por 100.000 habitantes (…) estão proibidos de entrar na Islândia, indicou o ministério num comunicado.

Entre os países do espaço Schengen – do qual a Islândia faz parte – estão no grupo a França, a Polónia e a Suécia.

A proibição não se aplica aos viajantes que residem na Islândia, aos membros da família de cidadãos que residam legalmente no território, nem aos cidadãos que apresentem um certificado de vacinação ou de contaminação anterior pelo coronavírus.

Também se aplicam exceções a viagens consideradas “essenciais”.

Os viajantes de 16 outros países têm de realizar cinco dias de quarentena à chegada à ilha, num hotel requisitado pelo Estado, salvo exceções.

Por outro lado, o Ministério da Saúde apresentou um plano de quatro etapas para levantar as restrições na Islândia, tendo em conta o progresso da vacinação.

Estimamos que todas as restrições nacionais poderão ser levantadas na segunda metade do mês de junho, quando cerca de 75% da população (com mais de 16 anos) terá recebido pelo menos uma dose da vacina”, precisou o ministério num comunicado.

A Islândia prevê vacinar todos os maiores de 16 anos, ou seja, cerca de 280.000 dos seus 365.000 habitantes.

/ MJC