A Nova Zelândia, um dos países com mais sucesso no combate à pandemia de covid-19, diagnosticou esta terça-feira o primeiro caso local em vários meses, o que poderá levar a novas medidas para travar a transmissão.

As autoridades de saúde informaram que o doente infetado foi detetado em Auckland, a cidade mais populosa do país, com 1,7 milhões de habitantes, não tendo ligação conhecida ao exterior.

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, avisou que poderão ser decretadas novas medidas, incluindo o confinamento, para travar a propagação do vírus, num país que continua a praticar a política de zero casos na luta contra a a pandemia.

O último surto comunitário no país registou-se em fevereiro.

A Nova Zelândia diagnosticou pouco mais de 2.900 casos de covid-19 desde o início da pandemia e apenas 26 mortes provocadas pela doença.

A covid-19 provocou pelo menos 4.361.805 mortes em todo o mundo, entre mais de 207,19 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.573 pessoas e foram registados 1.004.470 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

/ JGR