O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu esta segunda-feira que "a situação em diversos países é ainda muito preocupante", apesar da redução de casos de covid-19 pela segunda semana consecutiva.

Tedros Adhanom Ghebreyesus falava na habitual videoconferência de imprensa sobre a pandemia da covid-19, transmitida da sede da organização, em Genebra, na Suíça.

Segundo o dirigente da OMS, há países que "tiveram bons resultados" a conter os contágios e que "estão com um aumento dramático de casos de infeções e mortes".

"A situação em diversos países é ainda muito preocupante", afirmou, reiterando que a pandemia "não vai acabar em nenhum lugar até que termine em todos os lugares".

O médico etíope assinalou o "grande aumento" da disparidade entre os países com "maiores taxas de vacinação", para os quais parece que a pandemia acabou, e os países com "grandes ondas de infeção", nos quais a população deve respeitar as medidas de saúde pública, como usar máscaras, evitar aglomerações e manter o distanciamento físico.

A pandemia da covid-19 provocou, pelo menos, 3.381.042 mortos no mundo, resultantes de mais de 162,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência noticiosa francesa AFP.

Em Portugal morreram 17.009 pessoas dos 842.381 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China, e que se espalhou rapidamente pelo mundo.

/ RL