O Reino Unido registou 1.245 mortes e 29.079 novos casos de pessoas infetadas com covid-19 nas últimas 24 horas, de acordo com dados do Governo britânico, que celebrou resultados positivos sobre duas novas vacinas.

Na véspera tinham sido contabilizadas 1.239 mortes e 28.680 casos confirmados de contágio

O total desde o início da pandemia passa assim para 104.371 mortes confirmadas e 3.743.734 infeções.

Dados atualizados, esta sexta-feira, mostram que pelo menos 7.891.184 pessoas já receberam a primeira de duas doses, um aumento de 443.985 relativamente ao dia anterior, e cerca de 478.254 foram imunizadas com a segunda dose. 

De acordo com a atualização feita, esta sexta-feira, pelo Governo, o índice de transmissibilidade efetivo (Rt) no Reino Unido passou para entre 0,7 e 1,1, o que significa que, em média, cada 10 pessoas infetadas poderão infetar entre sete e 11 outras pessoas. 

Na semana passada, índice Rt estava entre 0,8 e 1.

O Grupo de Aconselhamento Científico para Emergências [SAGE, na sigla em inglês], que aconselha o Governo sobre as medidas a tomar para controlar a pandemia, disse que as estimativas são baseadas nos dados mais recentes, disponíveis até 25 de janeiro, incluindo número de mortes, infeções e pessoas hospitalizadas.

Segundo os cientistas, o nível de infeções “continua a ser perigosamente elevado e a população deve permanecer vigilante para manter este vírus sob controlo”.

Esta sexta-feira, foi conhecido que duas vacinas em desenvolvimento pelas farmacêuticas belga Janssen, do grupo Johnson & Johnson, e a norte-americana Novavax produziram resultados positivos. 

A vacina Novavax, da qual o Reino Unido garantiu 60 milhões de doses e que será produzida no norte de Inglaterra, demonstrou ser 89% eficaz na prevenção de covid-19, incluindo 86,3% à variante mais infecciosa detetada no país em dezembro.

Esta vacina também tem a vantagem de poder ser armazenada num frigorífico normal, tal como a Oxford/AstraZeneca, enquanto as vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna precisam ser mantidas a temperaturas de 70 graus celsius negativos. 

Já a vacina da Janssen provou ser pelo menos 66% eficaz na prevenção de complicações moderadas ou graves da doença cerca de 28 dias após a inoculação e 100% eficaz na prevenção de mortes e hospitalizações. 

Além de ter mostrado criar proteção contra a variante detetada na África do Sul, outra vantagem desta vacina é o facto de ser necessária apenas uma dose, tendo o Reino Unido já encomendado 30 milhões de unidades.

Ambas terão de ser aprovadas pela Autoridade Reguladora de Medicamentos (MHRA, na sigla em inglês) antes de poderem ser incluídas no plano de vacinação em curso. 

"É muito encorajador que os primeiros testes da vacina desenvolvida pela Janssen mostrem que ela é eficaz contra o coronavírus. Garantimos 30 milhões de doses e, se for aprovada por nosso regulador de medicamentos, devemos esperar que estejam disponíveis ainda este ano”, disse o primeiro-ministro, Boris Johnson, na rede social Twitter.

/ NM