A Suécia recomendou esta sexta-feira pela primeira vez o uso de máscaras nos transportes públicos, uma reviravolta no que tem sido a atípica estratégica do país nórdico para conter a pandemia de covid-19.

O país escandinavo, a braços com a segunda vaga da doença, vai também adotar uma série de novas restrições, incluindo a introdução de medição de temperatura nas lojas e a limitação de quatro pessoas nas mesas de restaurantes, anunciou o primeiro-ministro, Steven Löfven, em conferência de imprensa.

A Suécia tem sido destaque entre as nações europeias pela resposta relativamente tranquila à pandemia, sem confinamento ou encerramentos de estabelecimentos, apoiando-se no senso de dever cívico dos cidadãos para controlar as infeções.

No entanto, o país tem visto um rápido aumento de casos confirmados, o que tem sobrecarregado o sistema de saúde.

A situação continua muito séria”, prosseguiu o chefe do Executivo.

O vírus espalhou-se rapidamente entre o pessoal médico, forçando o Governo a aplicar mais restrições, que incluem a proibição nacional de venda de álcool em bares e restaurantes depois das 22:00 e o recolher obrigatório que foi hoje adiado para as 20:00.

/ LF