A Suécia anunciou esta quarta-feira a suspensão "por precaução" para pessoas com menos de 30 anos da vacina contra a covid-19 da Moderna, devido ao risco de inflamação do coração, sublinhando que a probabilidade de efeito secundário é "mínima". A Dinamarca suspendeu a administração da vacina para pessoas com menos de 18 anos.

A autoridade de saúde pública sueca (Folkhälsomyndigheten), responsável pela campanha de vacinação, "decidiu suspender o uso da vacina Spikevax da Moderna para todos os nascidos a partir de 1991, por princípio de precaução", indicou um comunicado enviado à imprensa.

Esta decisão foi tomada "após sinais de maior risco de efeitos secundários, como inflamação do miocárdio e pericárdio", segundo a nota.

Segundo o mesmo órgão de saúde, o risco é maior após a segunda dose e no sexo masculino.

Mas o risco de ocorrer é mínimo, sendo um efeito colateral muito raro”, enfatizou a autoridade de saúde pública sueca.

“A miocardite e a pericardite costumam passar por conta própria, sem causar problemas duradouros, mas os sintomas devem ser avaliados por um médico”, explicou o comunicado.

Cerca de 81.000 pessoas com menos de 30 anos receberam a primeira dose da vacina da Moderna na Suécia, mas não a segunda.

Em julho, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, sigla em inglês) estendeu a sua autorização da vacina Moderna para crianças e adolescentes entre 12 e 17 anos.

A covid-19 provocou pelo menos 4.813.581 mortes em todo o mundo, entre mais de 235,76 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.008 pessoas e foram contabilizados 1.072.537 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Agência Lusa / JGR