As vacinas contra a covid-19 distribuídas através da plataforma Covax chegaram já a 22 países africanos desde que as primeiras doses foram recebidas no Gana, em 24 de fevereiro, disse esta quinta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Cada nova entrega de vacinas em África é mais um passo para a equidade", afirmou a diretora do escritório regional para África da OMS, Matshidiso Moeti, durante a conferência de imprensa semanal sobre a pandemia de covid-19.

"É fundamental que os trabalhadores da saúde e outros grupos prioritários estejam na frente da fila" para serem vacinados, acrescentou.

Segundo a OMS, estes 22 países africanos receberam cerca de 14,8 milhões de doses através da Covax, das quais 518.000 já foram administradas.

As últimas nações africanas a juntarem-se à lista de beneficiários foram o Benin, onde 144.000 doses da vacina AstraZeneca chegaram na quarta-feira - de um total de 792.000 a serem enviadas para o país nos próximos meses - e a Serra Leoa, que recebeu 96.000 doses da AstraZeneca na terça-feira, como parte de um lote inicial de 528.000.

Os outros países africanos onde as vacinas contra o novo coronavírus já desembarcaram são o Quénia, Uganda, Ruanda, Djibuti, Etiópia, Nigéria, Gâmbia, Senegal, Costa do Marfim, Mali, Libéria, Togo, São Tomé e Príncipe, Sudão, República Democrática do Congo, Angola, Moçambique, Maláui, Botsuana e Lesoto.

A plataforma Covax - impulsionada pela OMS e pela Aliança para as Vacinas (Gavi) - procura assegurar o acesso global e equitativo aos medicamentos antivirais e visa fornecer pelo menos 2 mil milhões de doses até ao final do ano.

Paralelamente a estes esforços, outro grupo de nações africanas já está a vacinar graças às soluções que conseguiram encontrar através de acordos bilaterais com produtores farmacêuticos.

É o caso, por exemplo, de Marrocos, Seychelles, Zimbábue, África do Sul, Egito e Serra Leoa.

Apesar deste progresso, a África e os seus 1,3 mil milhões de pessoas continuam a estar globalmente atrasada em termos de progresso da imunização: dos 55 Estados-membros da União Africana (UA), apenas 19 iniciaram campanhas nacionais de imunização.

O continente registou, desde o início da pandemia, 3.989.874 casos e 106.682 mortes por covid-19, segundo dados compilados pelo Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (África CDC), uma agência da União Africana.

/ MJC