Mais de 100 bebés saudáveis, que nasceram de mães infetadas com o novo coronavírus num hospital na cidade de Mumbai, no oeste da Índia, puderam estar finalmente juntos.

Após o parto, as mães ficaram numa enfermaria específica para doentes Covid-19 durante uma semana e estiveram a ser tratadas com hidroxicloroquina. Os bebés ficaram num centro separado durante 10 dias.

"Temos a sorte de que a maioria das mulheres que testaram positivo para a doença não apresenta nenhum sintoma. Algumas delas apenas tiveram febre e falta de ar”, disse Arun Nayak, o chefe de ginecologia do Hospital Sion, citado pela BBC.

“Há muita ansiedade entre as mães. Elas continuam com receios de que podem morrer, mas temos que garantir que a criança é saudável”, acrescentou.

Inicialmente, três dos 115 recém-nascidos testaram positivo para a Covid-19, mas depois de repetidos, os testes apresentaram um resultado negativo. Mas há outras histórias a lamentar: duas mulheres grávidas infetadas morreram no hospital, uma delas antes do nascimento do bebé.

Com quase 24 mil pessoas infetadas e mais de 840 mortes até agora, a capital financeira da Índia tornou-se o epicentro da Covid-19 no país.

No hospital Sion, mais de metade dos nascimentos nestas condições aconteceram por cesariana, os outros foram de parto natural. Destes, 56 eram meninos, 59 eram meninas.

As autoridades de saúde disseram que 22 das mães infetadas chegaram ao hospital de Sion encaminhadas de outras unidades e ainda estão a tentar perceber se contraíram o vírus em casa ou em alguma outra enfermaria.

Lara Ferin