O arquipélago das ilhas Palau, um dos poucos lugares do mundo que não foram afetados com casos de covid-19, pode vir a tornar-se um dos primeiros países do mundo a vacinar toda a sua população.

A República de Palau tem cerca de 18 mil habitantes e, no sábado, recebeu a sua primeira entrega de vacinas da farmacêutica norte-americana Moderna. Ao todo, 2.800 doses da vacina foram entregues.

Segundo o ministério da Saúde do país, o processo de vacinação começou no dia seguinte, em profissionais de saúde, funcionários considerados “importantes” e grupos de risco, que vão ser vacinados com as duas doses do fármaco com um intervalo de 28 dias.

Palau não registou qualquer caso de covid-19 ou qualquer óbito relacionado com a doença. Situação que poderá ser justificada com as duras medidas restritivas implementadas numa fase muito precoce da pandemia.

No mês de janeiro, quando o vírus começou a ser detetado em vários países do sudeste asiático, Palau decidiu fortalecer o controlo de fronteiras. Em março fechou por completo o país e começou a testar os seus cidadãos em abril.

Agora, numa altura em que a vacina representa uma esperança de regresso à normalidade, Palau conta com o programa de distribuição de vacinas norte-americano, o “Operation Warp Speed”, para conseguir vacinar os seus cidadãos.

Temos sorte de estar numa posição em que temos acesso às vacinas, via “Operation Warp Speed”, salientou o ministro da Saúde do país, Ritter Udui.

Apesar de não ser obrigatório tomar a vacina, o ministro revelou que o governo do país tem como meta chegar a, pelo menos, 80% da população.

O tamanho torna mais fácil implementar o programa”, admitiu.