O papa Francisco expulsou este sábado do sacerdócio os bispos chilenos José Francisco Cox, 85 anos, e Iquique Marco Antonio Ordenes, 54 anos, ambos acusados de abusos sexuais contra menores.

O Vaticano informou que o papa “demitiu do estado clerical” Cox e Ordenes, o modo como é feita a expulsão do sacerdócio, na sequência de uma investigação da Congregação para a Doutrina da Fé, não sendo possível recorrer da decisão.

Estas duas expulsões juntam-se às dos sacerdotes Fernando Karadima Farina e Cristian Prech ocorridas nas últimas semanas.

Vários membros da Igreja Católica do Chile envolvidos em casos de abuso, incluindo alguns bispos, levaram o clero chileno à pior crise da sua história.

Em maio, os bispos chilenos apresentaram a sua renúncia depois de três encontros com o papa Francisco, no Vaticano, na sequência de uma série de erros e omissões na gestão de casos de abuso sexual.

De acordo com um relatório publicado no final de agosto, existem no Chile 119 investigações em curso contra 167 pessoas relacionadas com a Igreja e 178 vítimas identificadas, 79 das quais menores quando os casos ocorreram.