O Vaticano decretou, esta segunda-feira, que a Igreja Católica não pode abençoar as uniões entre pessoas do mesmo sexo, porque Deus "não pode abençoar o pecado"

Deus não abençoa e não pode abençoar o pecado: Ele abençoa o homem pecador, para que ele consiga reconhecer que ele faz parte do seu plano de amor e se permita ser mudado por ele", lê-se na nota da Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano.

De acordo com a agência Reuters, trata-se de uma resposta formal (Responsum ad dubium) a uma pergunta sobre se o clero católico poderia ou não abençoar as uniões homossexuais. Essa resposta, escrita em duas páginas e em sete idiomas, teve a aprovação do Papa Francisco. 

A nota esclarece que os homossexuais devem ser tratados com dignidade e respeito, mas que a benção dessas uniões "não pode ser considerada lícita”, nem equiparada a uma união entre um homem e uma mulher.

Trata-se de uma “união não ordenada ao desígnio do Criador”.

O Papa Francisco sempre foi muito acolhedor e apoiante dos homossexuais e dos casais do mesmo sexo, mas apenas no que toca à esfera civil, não dentro da igreja católica, como agora se verificou. 

Cláudia Évora