Um casamento de traições, mentiras, dívidas e de noites passadas fora de casa. Victoria pensava que a infidelidade era o pior do seu casamento com Emilie Cilliers até que o marido tentou matá-la não uma, mas duas vezes.

O objetivo era simples. Emilie queria matar a mulher para receber o dinheiro do seguro de vida da mulher e assim começar uma nova vida com a amante... a mesma com quem tinha ido de férias enquanto Victoria estava grávida do segundo filho do casal.

Segundo conta a BBC, que cita provas analisadas por um tribunal de Winchester (EUA), o sargento Cilliers esperava conseguir matar a mulher na própria casa. Tinha tudo preparado: deixar o fogão ligado antes de sair da casa para ir para a casa e amante quando a esposa e o filho recém-nascido já estivessem na cama. 

Na manhã seguinte, Victoria acordou e foi até à cozinha, onde o cheiro a gás a deixou intrigada e decidiu enviar uma mensagem a perguntar se tinha mexido no fogão e a brincar com a situação.

Estás a tentar mandar-me daqui para fora?", escreveu Victoria, sem saber que o marido estava mesmo a tentar matá-la

Sem conseguir cumprir o objetivo, Emilie voltou a tentar matar a companheira de sete anos, sabotando o paraquedas que Victoria ia usar num salto em abril de 2015. 

Apesar de saber que a mulher era instrutora de salto e que até já tinha completado os 2500 saltos, o sargento torceu as cordas do equipamento e retirou partes do equipamento de reserva. Victoria saltou e aterrou no chão sem o paraquedas abrir, partindo uma perna, algumas costelas e sofreu várias lesões graves na coluna.

Os especialistas que analisaram o paraquedas depois do acidente, afirmaram ter sido um "milagre" tal ter acontecido, uma vez que é uma mulher pequena e de pouco peso, dizendo ainda que a "maciez" do solo, que tinha sido limpo há pouco tempo, acabou por ajudar a que Victoria sobrevivesse. 

Em tribunal, o inspetor Paul Franklin, da polícia de Wiltshire, disse que Cilliers mostrou "nada além de desprezo" pela sua família.

Em duas ocasiões diferentes, ele tentou matar Victoria - e numa delas também colocou em risco a vida dos dois filhos pequenos. Os seus motivos egoístas eram simples. Ele acreditava que, ao matar Victoria, os seus problemas financeiros seriam resolvidos, a sua carreira militar continuaria sem o perigo de Victoria tentar prejudicá-lo e ele poderia continuar o caso com a namorada", afirmou Franklin.

Segundo os documentos, o sargento tinha 25 mil euros de dívidas e podia vir a receber 137 mil euros do seguro de vida da esposa. 

Por sua vez, a advogada do sargento disse que Emile estava a ser acusado por algo que um "estranho" fez, algo de que o juiz discordou, tendo considerado que o sargento culpado por ter tentado matar duas vezes a mulher e ter posto em perigo os próprios filhos. 

"Todas as provas apontam que Emile Cilliers era um homem com um motivo e a oportunidade para cometer estes crimes calculados e matar a mulher", afirmou a procuradora Amanda Sawetz, citada pela Reuters.

Emile Cilliers negou todos os crimes. Agora, irá aguardar a condenação.