A Finlândia vai conceder aos dois progenitores a mesma licença parental, de forma a que os pais passem mais tempo com os filhos.

A medida, anunciada esta quarta-feira pelo novo governo finlandês, visa "promover o bem-estar e a igualdade de género".

A ministra da Saúde e Assuntos Sociais do país, Aino-Kaisa Pekonen, avançou à BBC que o governo está a iniciar "uma reforma radical dos benefícios familiares", com o objetivo de fortalecer o relacionamento dos pais desde o início.

Atualmente, na Finlândia, a licença de maternidade é de 4,2 meses, enquanto que os pais recebem 2,2 meses até a criança completar dois anos.

A medida vai também aumentar o subsídio parental no país para 14 meses combinados, o que equivale a 164 dias a cada progenitor.

A licença parental é o direito laboral que confere aos pais e mães trabalhadores proteção por ocasião do nascimento ou adoção de filhos, através da possibilidade de se ausentarem do seu trabalho temporariamente para tomarem conta da criança.  

Já o subsídio parental é um valor que é pago ao pai ou mãe que estão de licença, por nascimento de filho.

Em Portugal, o subsídio parental é concedido por um período de até 120 ou 150 dias consecutivos, conforme opção dos pais.

/ RL