Seis meses depois do incêndio que atingiu Notre Dame, os especialistas que acompanham a reconstrução mostram-se preocupados, chegando mesmo a afirmar que há risco de colapso da catedral.

Para precaver eventuais desmoronamentos, foram colocados andaimes e proteções na estrutura, imprevistos que devem adiar a conclusão do restauro para 2026.

Outra preocupação são as obras de arte. Algumas das peças têm de esperar para secar, uma vez que ainda existe água dentro do edifício, nomeadamente nas fissuras decorrentes do incêndio.

O orçamento inicial para a reconstrução era de 30 milhões, já vai em 85 milhões e, muito provavelmente, vai aumentar. Há muitas promessas de doações para a reconstrução, mas muitas não foram ainda concretizadas.

O presidente francês, Emmanuel Macron, queria que a reconstrução estivesse concluída em 2026, mas ao ritmo atual a data do fim das obras é imprevisível.