O Estado Islâmico já reivindicou os ataques desta terça-feira, que vitimaram mais de 31 pessoas em Bagdade, na capital do Iraque. Como homenagem, em Paris, a Torre Eiffel, o monumento mais emblemático de França, apagou as luzes à meia-noite (23:00 em Lisboa).

Em Bagdade, na noite anterior, um primeiro ataque provocou dez mortos e mais de 22 feridos junto a uma gelataria. Várias testemunhas oculares descreveram um cenário trágico, de gelados misturados com sangue, enquanto os vários feridos e mortos cobriam o chão.

De acordo com a cadeia de comunicação norte-americana CNN, o ataque vitimou várias famílias, incluindo mulheres e crianças.

Na rua da gelataria, encontram-se também vários cafés e restaurantes populares, onde várias famílias e, sobretudo jovens, enchem a área à noite, especialmente durante o mês do Ramadão, sagrado para os muçulmanos, uma altura em que multidões se reúnem na cidade.

Se, por um lado, a primeira explosão visava camadas mais jovens da população, a segunda explosão, num carro armadilhado, visava um grupo de idosos. Doze pessoas morreram e outras 45 ficaram feridas.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenou o ataque e "expressou as mais profundas condolências com as famílias das vítimas".