O parlamento do Reino Unido chumbou, esta quarta-feira, a proposta de realização de eleições antecipadas, que foi lançada pelo atual primeiro-ministro, Boris Johnson. A abstenção do Partido Trabalhista foi essencial para que a moção não tenha avançado.

Além da abstenção do partido de Jeremy Corbyn, a votação contou com os votos contra de 56 deputados, entre outros partidos e independentes. A precisar de 434 votos a favor (dois terços da câmara), Boris Johnson reuniu apenas 298 apoiantes.

O líder do Partido Conservador já reagiu ao resultado, afirmando que Jeremy Corbyn "acha que não vai ganhar" umas eventuais eleições. Boris Johnson aproveitou ainda para deixar uma provocação: "Isto significa que a oposição tem confiança no Governo de Sua Majestade".

[Jeremy Corbyn] é o primeiro líder da oposição na história democrática do nosso país a rejeitar o convite para uma eleição. Só posso adivinhar as razões da sua decisão: a conclusão óbvia é que acha que não irá ganhar", afirmou Boris Johnson.

Ainda durante o debate, e antes da votação, Jeremy Corbyn afirmou o seguinte: "Queremos uma eleição porque queremos atirar este governo borda fora".

Mas a oferta de eleições hoje é um pouco como a maçã envenenada oferecida pela Rainha, porque é o veneno de um no deal e não uma oferta de eleições", acrescentou.

Recorde-se que o atual primeiro-ministro britânico tinha proposto a data de 15 de outubro para a realização das eleições antecipadas.