Uma mãe foi espancada num parque de diversões de Madrid, em San Martín de la Vega, por defender o filho autista. O caso aconteceu no passado dia 2 de maio e chega agora a tribunal, segundo conta a agência de notícias espanhola EFE.

A vítima, de 38 anos, foi atacada e atirada ao chão depois de abordar um homem, com cerca de 40 anos, que tinha gozado com o seu filho. Mayte foi agredida com tal violência que perdeu a consciência durante o ataque, ocorrido na presença de Jimy, de 11 anos.

A criança dirigia-se com os amigos para uma das atrações do Parque Warner, quando foi abordada por um homem, que lhes perguntou porque tinham passado à frente de todos. O grupo explicou que tinha um passe para pessoas com necessidades especiais que lhes dava prioridade, ao que o suspeito respondeu: "Sim, sim... eu também sou atrasado como tu."

Por ter vertigens, a mãe de Jimmy não acompanhou o filho e também não se apercebeu da abordagem. Quando saiu, Jimy contou à mãe o que sucedeu, mas não deu muita importância.

Só quando, mais tarde, numa outra atração do parque, um teatro, se sentaram relativamente próximos, é que o menino de 11 anos começou a ficar nervoso, não parando de dizer "está ali o homem mau".

No final do espetáculo, a mãe dirigiu-se ao homem para condenar as palavras dirigidas ao filho e aquele, dizendo apenas "tu é que és a mãe do atrasado?", agarrou-a pelo cabelo e atirou-a ao chão, com a mulher a bater com a cara no cimento e a perder os sentidos.

A segurança do parque conseguiu deter o homem até à chegada da Guardia Civil, enquanto a vítima foi assistida também por funcionários do espaço.

Dois dias depois da agressão, Mayte dirigiu-se à associação ProTGD, que promove a qualidade de vida das pessoas com autismo e das suas famílias, para pedir aconselhamento jurídico, com o caso a seguir para tribunal.

Catarina Machado