Os passageiros do voo 1774 da American Airlines não ganharam para o susto na semana passada, depois de uma mulher ter ficado descontrolada. O avião fazia a ligação de duas horas entre Dallas e Fort Worth, nos Estados Unidos, levando a bordo 190 passageiros.

Elizabeth LaClair estava sentada na segunda fila, a fazer a viagem de regresso a casa, e contou ao Washignton Post todo o stress vivido. A mulher apercebeu-se que algo não estava bem quando ouviu alguém na fila atrás dizer que não queria que o avião subisse mais.

Ela parecia desligada e muito estranha", afirmou a passageira, que relata um claro descontrolo por parte da mulher.

A passageira começou a ficar mais agitada e a fazer muito barulho, ao mesmo tempo que o homem que estava ao seu lado, em conjunto com a tripulação, tentavam controlar a situação, mas sem efeito.

De repente, a mulher saiu do lugar e dirigiu-se para uma das portas do aparelho, tentando abri-la em pleno voo.

Os hospedeiros acabaram por conseguir derrubá-la sem que nada de mal tivesse acontecido, acabando por prendê-la pelos pulsos e pés durante o resto do voo.

Um dos passageiros filmou a mulher presa a uma cadeira à saída do voo, num vídeo onde se pode ver que a agitação ainda continuava.

Apesar de controlada, a agitação da mulher não acabou ali, e Elizabeth LaClair conta que o resto do voo se fez com comportamentos erráticos e violentos, através de vários pontapés.

Perante a insistência da mulher em ter um comportamento desviante, a tripulação acabou por atá-la com fita adesiva ao lugar.

O incidente foi confirmado pela companhia aérea, que acrescentou que a mulher chegou mesmo a morder um hospedeiro.

A senhora foi dominada até que o voo aterrou e foi reencaminhada para as autoridades. Agradecemos à nossa tripulação o profissionalismo e rápida ação para proteger todos os que seguiam a bordo", referiu a American Airlines.

António Guimarães