Uma menina de 11 anos foi acusada de um crime grave de abuso infantil por ter admitido que bateu num bebé de um ano. As agressões foram tão violentas que o menino não sobreviveu aos ferimentos.

De acordo com o comunicado da polícia do Condado de Prince George, tudo aconteceu a 24 de fevereiro quando a menina ficou a tomar conta de Paxton Davis na sua casa em Suitland, Maryland (EUA), enquanto a mãe saiu para fazer um recado rápido. 

O bebé estava aos cuidados da mãe da menina, amiga da família Davis e que já tinha cuidado de Paxton em situações anteriores, quando esta se teve de ausentar por "breves momentos". Quando regressou, encontrou o bebé inconsciente, com "ferimentos graves" e chamou os serviços de emergência.

Dada a gravidade das lesões, Paxton foi levado para o Hospital Pediátrico Nacional, em Washington, onde viria a falecer na terça-feira.

"Quando os médicos viram a vítima de um ano chamaram de imediato os detetives de investigação de abuso de menores dada a gravidade dos ferimentos", afirmou Brian Reilly, comandante do departamento de investigação criminal da polícia de Prince George, em conferência de imprensa.

Os detetives deslocaram-se ao hospital e reportaram que o bebé tinha um "traumatismo grave na parte superior do corpo".

A polícia revelou ainda que a menina de 11 anos, que nunca tinha ficado sozinha com o bebé, confessou que agrediu Paxton na manhã de domingo quando ficou sozinha com ele, não especificando se usou alguma arma ou como agrediu o menino e qual o motivo para a agressão.

"Não sei que motivo pode haver para esta situação e para uma menina de 11 anos infligir estes ferimentos numa criança de um ano. Não há palavras. Não há razão para que isto aconteça", disse o comandante, acrescentando que nem ele nem os outros detetives de homicídios se lembram de alguém tão jovem ser acusado de uma ofensa tão grave.

A criança está detida num centro juvenil. Não se sabe ainda se a mãe da menina ou outros membros vão ser acusados pela morte do bebé.

"Foi um acordo amigável que acabou em tragédia", reiterou.

A tia de Paxton, Shacela Drawhorn, criou uma petição para angariar dinheiro para o funeral do bebé e, na página do GoFundMe, explica que inicialmente a família pensou que o menino tinha caído na casa da ama, mas que mais tarde foram informados que o menino tinha sido "deixado sozinho com uma menina de 11 anos com graves problemas de agressividade".

"Estamos chocados e confusos por tudo o que aconteceu. A dor causada à nossa família é indescritível. Ele era alegre, enérgico e tinha feito um ano no dia 8 de fevereiro. É uma das coisas mais duras que temos de enfrentar. O nosso pequeno menino foi-nos tirado da pior maneira e queremos que a sua história traga consciência para as crianças em crimes de crianças", escreveu.

/ AM