O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, manifestou “sinceras e eternas condolências” às famílias dos milhares de norte-americanos mortos no bombardeamento japonês de Pearl Harbour, durante uma visita ao Havai. Visita qualificada de histórica pelo Presidente dos EUA, Barack Obama.

“Na qualidade de primeiro-ministro japonês, ofereço as minhas sinceras e eternas condolências pelas almas daqueles que morreram aqui, assim como aos espíritos dos valentes homens e mulheres cujas vidas foram levadas por uma guerra que começou neste local”, disse Abe. 

Shinzo Abe lembrou o bombardeamento japonês que matou mais de 2.400 norte-americanos há 75 anos, durante a Segunda Guerra Mundial e reiterou:

“Não podemos nunca repetir os horrores da guerra.”

O chefe do governo do Japão é o primeiro líder nipónico a visitar a ilha do Pacífico com o propósito de prestar homenagem e de não deixar cair no esquecimento as vidas americanas desfeitas pelas bombas largadas pela aviação japonesa.

Desencadeado a 7 de dezembro de 1941, o ataque a Pearl Harbor lançou os Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial e sobre ele ainda se fala na primeira pessoa.

Shinzo Abe espera que esta viagem inédita seja um contributo para a reconciliação e pacificação entre os dois povos.

A mesma mensagem de paz e reconciliação tinha sido deixada sete meses antes por Barack Obama em visita a Hiroshima, a primeira cidade japonesa alvo da bomba atómica lançada pela aviação norte-americana, que viria a produzir a rendição nipónica e o consequente fim da Segunda Guerra.