Um homem condenado por pedofilia, na prisão Duval County da Florida, Estados Unidos, foi assassinado pelo companheiro de cela, na terça-feira da semana passada.

David Oseas Ramirez envolveu-se numa discussão acesa com Paul Dixon, de 43 anos, que acabou com a sua morte, na própria cela que partilhavam. Segundo o USA Today, Paul já estava a cumprir uma pena de prisão de 17 anos por homicídio, que deve ser agravada por causa do assassinato.

O confronto entre os dois reclusos subiu de tom e Paul Dixon acabou por espancar David Oseas Ramirez, afogando-o depois na sanita da cela.

Um terceiro recluso que esteve presente quando se deu o homicídio, recusou-se a falar sobre o que testemunhou.

David Oseas Ramirez estava a cumprir uma pena perpétua pelo abuso sexual de uma rapariga de 11 anos. Tinha sido sentenciado por este crime em 2013 e os pormenores do caso foram tão chocantes que, de acordo com o USA Today, foram precisos apenas 15 minutos para o júri deliberar a sua sentença.

Pensa-se que o desfecho do confronto possa ter sido motivado pela natureza dos crimes de David Oseas Ramirez.

Quando um homem chega à prisão acusado ou sentenciado por ter feito mal a uma criança, não tem paz. Tem de estar constantemente alerta e tem de arranjar amigos que os protejam”, afirmou o analista de crime e segurança da News4Jax, em entrevista ao Newsweek.