Seis turistas foram detidos no Peru por terem entrado num setor interdito de Machu Picchu, tendo danificado o Templo do Sol, parte da célebre cidade perdida dos incas.

Segundo a AFP, os turistas detidos são quatro homens e duas mulheres, nacionais do Brasil, Argentina, França e Chile. Terão sido intercetados no domingo no Templo do Sol pelos vigilantes do local e pela polícia, precisaram as autoridades. A lei peruana prevê que possam incorrer numa pena de pelo menos quatro anos de prisão, pelo crime de destruição do património cultural nacional. As autoridades referem que, quando chegaram ao Templo do Sol, verificaram que um bloco de pedra de um muro tinha sido partido, danificando o piso da construção.

Os seis turistas foram detidos e vão ser alvo de um inquérito por atentado ao património cultural", disse à imprensa o coronel Wilbert Leyva, chefe da polícia de Cusco, no centro do Peru, onde fica Machu Picchu, considerada uma das maravilhas do mundo.

Além de terem entrado em locais proibidos do monumento, os turistas estão ainda acusados de terem contaminado o local com matéria fecal, disse à AFP a direção regional de cultura de Cusco. 

Machu Picchu, que é Património da Humanidade da UNESCO desde 1983, recebe cerca de milhão e meio de turistas por ano, de acordo com o Governo peruano. Algumas partes do Templo do Sol foram interditas em prol da conservação do edificado, dada a grande afluência turística ao local.

Atualmente, Machu Picchu, que foi descoberto em 1911, recebe cerca de 6000 turistas por dia e funciona com ums sistema de reservas para limitar o número de visitantes.

/ BC