O presidente do Sudão, Omar Hassan al-Bashir, disse esta sexta-feira que as crescentes tensões com o Sudão do Sul, por causa dos pagamentos do trânsito de petróleo, podem levar à guerra entre os dois países.

«Nós iremos para a guerra se formos forçados a ir para a guerra», disse o chefe de Estado numa entrevista televisiva em que foi questionado sobre a possibilidade de um eventual conflito com os vizinhos, que se tornaram independentes do Sudão no último Verão.

O Sudão do Sul tem reservas substâncias de crude, que para saírem do país têm de passar pelos oleodutos e pelo porto do Sudão. No centro das divisões está o valor que o Sul tem de pagar ao Norte para o uso das suas infra-estruturas.

Em Janeiro, as autoridades de Cartum anunciaram a confiscação de algum petróleo, como forma de pagamento pelas compensações que dizem ter direito. Em resposta, o Sudão do Sul suspendeu a produção.

Desde a independência do Sul, o Norte tem enfrentado uma séria crise económica, em grande medida motivada pela perda das receitas do petróleo, que motivou a subida da inflação e a contestação popular pelo aumento dos preços.
Redação