A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse esta quarta-feira aceitar a demissão do comissário europeu do Comércio, o irlandês Phil Hogan, que esteve envolvido em polémica por ter violado regras de contenção para a covid-19.

O comissário europeu Phil Hogan apresentou a sua demissão. Respeito a sua decisão”, informou Ursula von der Leyen numa declaração divulgada esta noite em Bruxelas.

A reação surgiu minutos depois de Phil Hogan ter tornado público que pediu a Von der Leyen a sua demissão, após ter violado regras de contenção contra a covid-19, ao ter participado num jantar na Irlanda com mais de 80 pessoas.

Esta noite apresentei a minha demissão como comissário europeu para o Comércio à presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen”, anunciou Phil Hogan num discurso publicado pelo executivo comunitário.

Estava a tornar-se cada vez mais claro que a controvérsia relativa à minha recente visita à Irlanda estava a ser uma distração do meu trabalho como comissário europeu e iria afetar o meu papel nos importantes meses que se seguiriam”, justificou o responsável irlandês.

Esta é a primeira ‘baixa’ no colégio de comissários que entrou em funções no final do ano passado e vem no seguimento do caso designado como ‘Golfgate’, um polémico jantar organizado por um clube de golfe irlandês que juntou mais pessoas do que as permitidas pelas autoridades irlandesas para ajuntamentos em altura de pandemia.

O irlandês Phil Hogan visitou o seu país entre 31 de julho e 21 de agosto e, na quarta-feira da semana passada, participou num jantar de comemoração dos 50 anos do clube de golfe do parlamento irlandês, com 82 convidados, entre os quais o então ministro da Agricultura, Dara Calleary, que se demitiu do cargo na sexta-feira.

Na declaração divulgada esta noite, Ursula von der Leyen mostrou-se “muito grata” pelo “incansável trabalho [de Phil Hogan] como comissário europeu do Comércio desde o início deste mandato e pelo seu bem-sucedido mandato como comissário responsável pela Agricultura no anterior colégio de comissários”.

Foi um importante e respeitado membro do colégio. Desejo-lhe as maiores felicidades para o futuro”, concluiu a líder do executivo comunitário.

Com uma carreira política de cerca de 40 anos, Phil Hogan, de 60 anos, ocupou o cargo de ministro do Ambiente da Irlanda entre 2011 e 2014 e, antes, foi eleito para o Parlamento irlandês de 1987 a 2014.

Mais recentemente, e antes de assumir a pasta do Comércio, foi comissário europeu da Agricultura no anterior colégio liderado por Jean-Claude Juncker.

Pressionado internamente na Irlanda para apresentar a sua demissão – pelo primeiro-ministro irlandês, Micheál Martin, e pelo vice-primeiro-ministro, Leo Varadkar –, Phil Hogan esteve no centro de mais polémicas por ter sido apanhado ao telefone pela polícia enquanto conduzia, dois dias antes do jantar.

/ BC