Um bombeiro morreu na sequência da queda de uma árvore e 17 pessoas estão desaparecidas devido às inundações causadas pelo mau tempo no norte de Itália, especialmente na região de Piemonte, onde se concentra o maior número de danos.

Em Piemonte estão 11 pessoas desaparecidas, dez delas na zona de Cuneo e outra na zona de Vercelli, depois do carro em que seguiam ter sido arrastado pelas águas do rio Sesia, que transbordou segundo a agência de notícias espanhola Efe.

Um bombeiro voluntário, Rinaldo Challancin, de 53 anos, morreu em Arnad (Aosta) quando estava a ajudar a limpar uma área de vegetação e uma árvore caiu sobre si.

Entre os desaparecidos estão três voluntários de uma cooperativa de Cuneo, que viajavam a bordo de uma carrinha em Val Roya, e um pastor que aparentemente foi arrastado por um riacho.

Há ainda seis caminhantes alemães que estão a ser procurados na zona de Valle Gesso, em Piemonte.

Também está desaparecido em Valsesia um jovem de cerca de 20 anos que circulava pela estrada entre Doccio e Crevola, na zona de Vercelli, que desmoronou parcialmente.

As chuvas diárias registadas em Piemonte ultrapassaram o recorde de 1958, segundo a Agência Regional para a Proteção do Meio Ambiente.

O presidente da região do Piemonte, Alberto Cirio, apelou ao governo que declarasse o estado de emergência, garantido que "em algumas zonas os autarcas queixam-se de danos causados pelas inundações em 1994".

A localidade de Limone, um centro turístico nos Alpes, na fronteira com a França, está isolada, não tem eletricidade, nem água, muitas áreas estão completamente inundadas e alguns edifícios tiveram de ser desocupados, descreve a Efe.

"Estou em contacto permanente com o chefe da Proteção Civil, Angelo Borrelli, devido à situação de mau tempo no Noroeste. Estamos a assegurar uma vigilância contínua, em plena coordenação com os territórios afetados, com especial atenção para o Valle de Aosta, Piemonte e Ligúria. A atenção do governo é máxima", escreveu o primeiro-ministro Giuseppe Conte no Facebook.

Estão também a ocorrer fortes inundações na região de Liguria, em particular em Ventimiglia, enquanto foram registadas rajadas de vento de mais de 100 quilómetros por hora na zona de Bérgamo.

As chuvas torrenciais provocaram deslizamentos de terra, levando ao encerramento de várias estradas provinciais e a circulação ferroviária teve de ser suspensa entre as cidades de Vercelli e Novara, devido ao transbordo da Sesia.

/ AM