Um piloto de 32 anos confessou o assassinato de uma jovem britânica, sua esposa, após a investigação de um crime que deixou a Grécia em choque.

Babis Anagnostopoulos foi detido depois de comparecer ao funeral da esposa, Caroline Crouch, na ilha de Alonnisos, onde cresceu.

O agressor alegou que três ladrões invadiram a casa do casal no dia 11 de maio, em Glyka Nera, perto de Atenas. Porém, após uma longa investigação, a polícia concluiu que a história não batia certo com os factos.

Anagnostopoulos tinha dito à polícia que a morte da esposa foi consequência de um assalto levado a cabo por um gangue que amarrou o agressor antes de sufocar a esposa e roubar 15 mil euros.

No entanto, a polícia não só verificou que o assalto tinha sido uma história inventada, como identificaram uma série de dispositivos técnicos para que não corroboraram o relato do marido de Crouch.

Primeiro, o relógio biométrico de Caroline Crouch revelou leituras de pulso no dia em que ela morreu. Depois, os movimentos de Babis Anagnostopoulos também foram captados através do seu telemóvel, e o sistema de vigilância do casal também destacou as discrepâncias.

Embora o suspeito tenha dito que foi amarrado, a polícia disse que ele conseguiu usar o seu telefone na altura do alegado assalto.

Crouch, de 20 anos, nasceu no Reino Unido e mudou-se com os seus pais para a ilha de Alonnisos, no Egeu, quando ainda era criança. 

Segundo um relatório policial, o agressor sufocou a vítima até à morte enquanto esta dormia. O crime terá sido cometido após Caroline Crouch ter ameaçado deixar Babis e levar a filha de ambos. 

A autópsia traça ainda os últimos momentos brutais vividos por Caroline. A vítima terá "morrido em agonia" e estava coberta de nódoas negras em diferentes áreas do corpo, comuns a uma luta pela sobrevivência.

Redação / HCL