A faculdade de Medicina em Plzen, onde estudava o jovem português desaparecido desde a madrugada de sábado confirmou esta terça-feira a morte do estudante.

"Em nome da Faculdade de Medicina de Plzen, Universidade Charles, anunciamos com profunda tristeza que o estudante Tomas Manuel Calado Bernardo Maia Alcaravela deixou-nos tragicamente. Nestes momentos difíceis, toda a faculdade de medicina partilha o luto com os seus pais, colegas e amigos", escreve a faculdade numa nota no seu site oficial.

A imprensa da República Checa já tinha avançado esta segunda-feira a morte do jovem português, adiantando que foi encontrado morto numa claraboia no prédio onde habitava.

De acordo com o jornal checo Krimi Plzen, que escreve que o óbito foi declarado local, o apartamento do jovem dava acesso direto à claraboia, onde o corpo foi encontrado.

No entanto, um porta-voz da polícia confirmou a descoberta do cadáver, mas escusou-se a comentar a sua entidade, dizendo que as autoridades estão ainda a investigar o caso.

Segundo alguns colegas e amigos, o jovem esteve alegadamente desaparecido desde a madrugada de sábado, após a ida a uma discoteca, e de ter sido visto a entrar no apartamento, por volta das 05:00.

Os amigos contactaram as autoridades locais no domingo a dar conta deste desaparecimento, após se aperceberem que este não era visto desde que entrara no apartamento, na madrugada de sábado.

Além da polícia e das associações de estudantes, os amigos comunicaram este desaparecimento à Embaixada de Portugal em Praga.

Redação / HCL