Pinki Pramanik, atleta indiana que foi medalha de ouro nos 4x400m femininos dos Jogos Asiáticos de 2006 é, na verdade homem, confirmou esta segunda-feira a justiça indiana e vai responder em tribunal por uma acusação de violação e tortura.

O caso foi denunciado em Junho deste ano, quando a ex-companheira, com quem vivia há três anos, se queixou às autoridades que Pinki Pramanik é um homem e que a tinha violado e torturado. A polícia abriu uma investigação mas, Pramanik recusou-se a fazer o teste médico para avaliar se é homem ou mulher até ser legalmente obrigado.

O teste mostra que Pramanik é um pseudo-hermafrodita masculino, ou seja, geneticamente é um homem que desenvolveu algumas características físicas femininas. Com a confirmação de que é homem e capaz de manter relações sexuais, Pramanik agora terá que responder perante as autoridades pela denúncia.

Pramanik tem 26 anos e está afastado de competições oficiais há três temporadas. Chegou a ficar preso preventivamente durante um mês aquando da denúncia, mas deixou a prisão após pagar fiança. Sempre negou as acusações, e disse que foi vítima de maus tratos e assédio no período em que esteve detido.