A polícia alemã quer voltar a testar a amostra de saliva encontrada no apartamento da Praia da Luz, de onde Madeleine McCan despareceu a 3 de maio de 2007.

Segundo a Sky News, os investigadores esperam conseguir ligar a amostra ao principal suspeito, Christian Brückner, que se encontra detido na prisão de Kiel, na Alemanha, a cumprir pena por tráfico de droga e abuso sexual de menores.

Ainda de acordo com aquela publicação, a Polícia Judiciária (PJ) já realizou os seus próprios testes, e não encontrou correspondência com o alemão.

Esta amostra de saliva está guardada no Instituto de Medicina Legal de Coimbra.

As autoridades alemãs querem conduzir os seus próprios testes, mas as recentes críticas do procurador alemão Hans Christian Wolters não estão a ajudar no processo.

As afirmaçõess de que a PJ continua a acreditar que Kate e Gerry McCann são os culpados do desaparecimento não terão caído bem no seio da judiciária. Os pais de Maddie foram oficialmente descartados pela PJ como suspeitos em 2008.

Razões legais também podem estar na origem da recusa da PJ, até porque, relembra a Sky News, as autoridades portuguesas recusaram, e, 2012, a realização de novas análises por parte da Scotland Yard a cabelos encontrados no apartamento.

Madeleine McCann desapareceu no dia 3 de maio de 2007, poucos dias antes de fazer quatro anos, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

António Guimarães