A polícia italiana desmantelou esta sexta-feira um gangue que seduzia mulheres pela Internet para depois lhes roubar dinheiro. A Operação Casanova resultou em 15 detidos que, segundo as autoridades, prometiam relações amorosas e até casamentos, acabando por burlar as vítimas. Segundo a polícia, o grupo operou em vários países.

Os suspeitos faziam-se passar por pilotos, marinheiros e agentes da Interpol como justificação para o facto de se recusarem a marcar encontros amorosos com as vítimas.

Depois de conquistarem a confiança destas mulheres, os elementos do grupo pediam-lhes dinheiro emprestado, sob pretexto de estarem presos ilegalmente ou de terem um filho doente. Uma das vítimas perdeu quase um milhão e meio de euros e outras entregaram as suas casas de família.

De acordo com a polícia italiana, a investigação durou três anos e a rede era composta por um total de 19 homens, maioritariamente de nacionalidade nigeriana. O grupo atuava sobretudo em Itália mas também noutros países, como os Estados Unidos, Reino Unido ou China.

Ao todo participaram autoridades de 22 países diferentes, que analisaram cerca de 30 mil transações financeiras e 200 relatórios de atividades suspeitas.

Conseguiram também roubar várias dezenas de milhares de euros a empresas de informática. Ao intercetarem a correspondência interna, foram capazes de persuadir os responsáveis a transferirem o dinheiro para as contas bancárias erradas.

João Faria