Tinha saído do trabalho e ia voltar a casa. Foi esfaqueado por um homem e morreu. Era polícia e tinha 48 anos. Chamava-se Keith Palmer. Foi uma das vítimas mortais do ataque terrorista que aconteceu esta quarta-feira, em Londres, junto ao Parlamento britânico, em Westminster.

“Um dos que morreu hoje era um polícia – PC Keith Palmer – um membro do nosso comando de Proteção Parlamentar e Diplomático. Keith – 48 anos – tinha 15 anos de serviço, era marido e pai”

Foi assim que o chefe do comando antiterrorista da Polícia Metropolitana de Londres, Mark Rowley, identificou o agente de autoridade que perdeu a vida no ataque junto ao parlamento. Um ato terrorista que terminou, até agora, com a morte de cinco pessoas e 40 feridos. O alegado atacante, que foi baleado depois esfaquear Keith Palmer e atropelar dezenas de pessoas na ponte de Westminster, está entre as vítimas mortais. Tal como três peões atingidos pelo veículo, que usou como arma, para abalroar dezenas de transeuntes inocentes.

Segundo o jornal britânico Metro, o atacante usou duas facas para atingir mortalmente Keith Palmer, antes de ser abatido a tiro por outros polícias no local. Segundo as autoridades, Keith Palmer estava desarmado na altura do incidente. No Facebook, já foram criadas várias páginas em memória do agente de autoridade. 

Com a voz emocionada, Mark Rowley, prestou tributo ao homem que, de forma trágica, não conseguiu chegar a casa.

“Ele era alguém que tinha saído, hoje, do trabalho, à espera de ir para casa, no final do seu turno – e ele tinha todo o direito em esperar que isso acontecesse”

“Hoje em Westminster, assistimos a trágicos eventos e os nossos pensamentos estão com aqueles que perderam os seus entes queridos, que ficaram feridos, e foram afetados por este ataque”, acrescentou.

Entre os 40 feridos, estão mais dois polícias, em estado crítico. Mas não só. Das vítimas do ataque ainda pouco se sabe. Tanto de quem perdeu a vida, como de quem ficou ferido.

A TVI sabe que há um português entre os atingidos pela viatura do atacante na ponte. Tem 26 anos e chama-se Francisco Lopes. Teve ferimentos ligeiros.

Há ainda indicação de três estudantes franceses feridos, ainda menores, e dois estão em estado grave. Sabe-se também da existência de duas vítimas romenas e cinco sul-coreanas.

Patrícia Pires