A polícia francesa está a investigar o desaparecimento do presidente da Interpol, Meng Hongwei, avançam as agências de notícias internacionais.

Hongwei é, desde novembro de 2016, o presidente da Interpol, a organização em que trabalham as autoridades policiais de 192 países, com sede em Lyon. A instituição é responsável, por exemplo, pela execução de mandados de detenções internacionais. 

O alerta foi dado pela mulher de Meng Hongwei que, segundo fonte anónima da polícia judiciária francesa, não tem notícias do marido há dez dias. No final de setembro, o presidente da Interpol saiu de casa para uma viagem com destino à China, país que o viu nascer em 1953. Foi neste país asiático que Hongwei fez carreira na polícia e se notabilizou pelo trabalho no combate ao narcotráfico.

Tanto a Interpol como a polícia francesa recusaram-se a falar do caso. Sabe-se apenas que está a decorrer uma investigação comandada pela judiciária francesa. 

Meng Hongwei foi o primeiro cidadão chinês a ocupar a presidência da Interpol, um mandato de quatro anos que terminará em 2020.