Investigadores que estavam fazer escavações num dos maiores campos de extermínio nazi, em Sobibor, na Polónia, descobriram um pendente que acreditam ter ligações a Anne Frank. O pendente é bastante semelhante ao que usava a rapariga judia que escreveu um dos mais famosos diários da história da II Guerra Mundial, e pertencia a Karoline Cohn, outra jovem judia.

De acordo com os investigadores, as duas jovens judias nasceram em Frankfurt, em 1929. Anne e Karoline usavam o mesmo tipo de pendente e os historiadores não encontraram mais nenhum como o delas. Anne Frank, no entanto, morreu em 1945, no campo Bergen-Belsen, na Alemanha.

Os historiadores estão, neste momento, a tentar pesquisar os familiares de ambas as jovens para verificar se, realmente, existe uma ligação entre as duas.

O pendente tem forma triangular e numa das faces lê-se em hebraico a expressão “Mazal Tov” (Parabéns, em Português) e a data de nascimento da jovem (03-07-1929). Na outra face estão três estrelas de David e o símbolo “heh”, que significa Deus.

Os investigadores acreditam que o pendente foi encontrado no local onde as vítimas do Holocausto eram despidas e preparadas para as câmaras de gás.

Yad Vashem conduz, desde 2007, várias investigações no campo nazi Sobibor, juntamente com a Autoridade de Antiguidades de Israel. Além dos pendentes, foram também descobertos um colar com uma estrela de David e um relógio feminino. Os investigadores acreditam que os objetos caíram por entre as tábuas do chão e permaneceram enterrados até à sua descoberta.

Ao contrário de outros campos de concentração, que tinham áreas específicas para a prática de trabalhos forçados, Sobibor foi construído especificamente para o extermínio de judeus. As vítimas eram levadas em carros de animais e mortas em câmaras de gás.