Há mais uma ilha de lixo no oceano, desta vez no Mediterrâneo. A imprensa francesa noticiou a presença de um amontoado de plástico flutuante, perto da costa da ilha de Córsega.

Os investigadores citados pelo jornal “France Blue” garantem que esta enorme “ilha” de plástico se formou entre a ilha francesa de Córsega e a ilha italiana de Elba.

Esta formação vem juntar-se a outras já conhecidas do mesmo género, como a Grande Ilha de Lixo do Pacífico, a mais famosa pelo seu tamanho, que se situa no Atlântico. Contudo, os cientistas apontam que podem haver boas notícias em relação a este acumulado de destroços: parece que é apenas uma “zona de acumulação temporária”, motivada pelas correntes e pelas condições atmosféricas.

As correntes no Noroeste do Mediterrâneo estão organizadas de tal forma que sobem ao largo da costa italiana e, quando chegam à base da ilha de Elba, não conseguem passar e percorrem o canal da Córsega e é por isto que temos densidades maiores. Quando temos condições meteorológicas adversas temos acumulações destas na costa da Córsega”, explicou François Galgani, cientista marinho no instituto IFREMER, em entrevista ao “France Blue”.

A má notícia é que, mesmo que se disperse e não fique próxima da ilha francesa, o plástico que compõe a mancha de poluição permanecerá no mar.

No ano passado, a WWF alertou que o Mediterrâneo corre o risco de tornar-se num “mar de plástico” muito em breve e que a poluição está a afetar os ecossistemas no local.