As negociações entre a União Europeia (UE) e o Reino Unido para se alcançar um acordo pós-Brexit "vão continuar", sem prazo, anunciou, neste domingo, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, naquele que seria o último dia para as partes chegarem a um acordo.

Tive uma conversa construtiva e útil com o primeiro-ministro Boris Johnson. (...) Apesar da exaustão de quase um ano de negociações, e apesar de os prazos terem sido ultrapassados sucessivamente, ambos pensamos que é responsável nesta altura fazer um esforço adicional. Deste modo, mandatámos os nossos negociadores para continuarem as conversações para ver se é possível chegar a um acordo, mesmo nesta fase tardia", afirmou, numa mensagem vídeo divulgada na sua conta no Twitter.

 

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, tinha informado na sexta-feira, o Conselho Europeu, que se reuniu em Bruxelas, que as expectativas de um acordo eram "baixas".

"A probabilidade de um não acordo é maior do que a de um acordo", disse, então, aos líderes da UE.

Na quinta-feira, a Comissão Europeia publicou os planos de contingência para que não sejam interrompidas a circulação rodoviária, o tráfego aéreo e as atividades de pesca. 

O Reino Unido abandonou a UE a 31 de janeiro, tendo entrado em vigor medidas transitórias que caducam no próximo dia 31.

Na ausência de um acordo, as relações económicas e comerciais entre o Reino Unido e a UE passam a ser regidas pelas regras da Organização Mundial do Comércio (OMC) e com a aplicação de taxas aduaneiras e quotas de importação, para além de mais controlos alfandegários e regulatórios.

Para além das pescas, mantêm-se as divergências entre Londres e Bruxelas sobre questões de concorrência e de resolução de litígios.

Veja também:

Boris Johnson mantém que ‘no deal’ é o cenário mais provável

O primeiro-ministro britânico advertiu hoje que um fracasso nas negociações sobre as futuras relações comerciais entre Reino Unido e União Europeia continua a ser o cenário “mais provável”, apesar da decisão das duas partes de prosseguir as negociações.

Tenho de insistir que o desfecho mais provável nesta altura é, claro, que tenhamos de nos preparar para os termos da Organização Mundial do Comércio [OMC]. Tanto quanto vejo, há algumas questões muito importantes e muito difíceis que atualmente separam o Reino Unido da UE, e o melhor que todos temos a fazer é prepararmo-nos para relações comerciais nos termos da OMC”, disse Boris Johnson à estação televisiva britânica BBC.

Catarina Machado / com Lusa