O prémio Nobel da Física foi entregue, nesta terça-feira, a Syukuro Manabe, Klaus Hasselmann e Giorgio Parisi.

Os três cientistas foram distinguidos pelas “contribuições inovadoras para a compreensão de sistemas físicos complexos".

O Prémio Nobel da Física deste ano reconhece novos métodos para descrever sistemas complexos e prever o seu comportamento a longo prazo. Um sistema complexo de vital importância para a humanidade é o clima da Terra", descreve a academia sueca.

O prémio foi divido em duas partes.

O climatologista japonês/norte-americano Syukuro Manabe e o oceanógrafo alemão Klaus Hasselmann receberam em conjunto metade do prémio "pela modelagem física do clima da Terra, quantificando a variabilidade e prevendo o aquecimento global de forma confiável".

Já o físico italiano Giorgio Parisi recebeu a outra metade “pela descoberta da interação da desordem e das flutuações em sistemas físicos de escalas atómicas a planetárias”.

Syukuro Manabe, sublinha a academia, "demonstrou como o aumento dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera levam ao aumento da temperatura na superfície da Terra".

O seu trabalho lançou as bases para o desenvolvimento dos modelos climáticos atuais", aponta.

Quanto a Klaus Hasselmann, "criou um modelo que une tempo e clima".

Os seus métodos têm sido usados ​​para provar que o aumento da temperatura na atmosfera é devido às emissões humanas de dióxido de carbono", indica.

Noutro plano, Giorgio Parisi "descobriu padrões ocultos em materiais complexos desordenados".

As suas descobertas estão entre as contribuições mais importantes para a teoria dos sistemas complexos", enaltece, ainda, a academia.

Catarina Machado