Marine Le Pen respondeu, nesta sexta-feira, ao ícone do futebol francês Zinédine Zidane, que apelou ao voto contra ela na segunda volta das eleições presidenciais, ao considerar que "com o que ele ganha" não espanta que vote Emmanuel Macron

Zinédine Zidane, treinador do Real Madrid, apelou hoje a "evitar ao máximo" a Frente Nacional (FN), que apresenta a candidata e líder do partido de extrema-direita à segunda volta das presidenciais, marcadas para o próximo dia 7 de maio.

"A mensagem, é sempre a mesma, a de 2002 [durante a passagem do pai de Marine Le Pen à segunda volta das presidenciais]. Estou longe de todas essas ideias, desta Frente Nacional. Assim, é preciso evitá-la ao máximo. Os extremos nunca foram bons", disse na conferência de imprensa antes da próxima jornada do campeonato.

Interrogada sobre esta declaração, Marine Le Pen considerou inicialmente que se tratava apenas de uma opinião.

Que querem que diga? Ele pode dar conselhos sobre futebol, é preciso dizer que nisso é muito bom, mas em política não é uma certeza. Mas com o que ele ganha, compreendo ao mesmo tempo que vote em Macron. Suponho que o senhor Zinédine Zidane possua um considerável capital financeiro e assim terá, provavelmente, todo o interesse na eleição de Macron para preservar a riqueza que conseguiu obter devido ao seu talento."

O independente Emmanuel Macron venceu a primeira volta das presidenciais francesas do passado domingo com 24,01% dos votos, e vai defrontar, na segunda volta, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, que conseguiu 21,30% dos votos.

/ CM