O presidente incumbente dos Estados Unidos concedeu esta quinta-feira a vitória nas eleições presidenciais a Joe Biden. Mais de dois meses depois das eleições de 3 de novembro, Donald Trump admite a derrota, num vídeo onde também condenou a invasão ao Capitólio.

O anúncio foi feito através de uma mensagem deixada no Twitter, onde um vídeo de dois minutos foi publicado na conta de Donald Trump.

O presidente dos Estados Unidos começou por condenar o ataque, afirmando-se "ultrajado" pelo ataque conduzido pelos seus apoiantes.

A América foi e sempre será uma nação de lei e ordem. Os manifestantes que se infiltraram no Capitólio desonraram o lugar da democracia americana. Àqueles que participaram nos atos de violência e corrupção: vocês não representam o nosso país. E àqueles que quebraram a lei: vocês vão pagar”, referiu na mensagem o presidente cessante.

Lembrando que muitos dos seus apoiantes lutaram pela sua reeleição, Donald Trump referiu que a sua intenção sempre foi lutar pela verdade nas eleições eleitorais. Recorde-se que o candidato republicano alegou fraude eleitoral, baseando-se na ilegalidade dos milhões de votos por correspondência.

O meu objetivo era garantir a integridade da eleição. Continuo a acreditar que devemos reformar o sistema eleitoral", vincou.

Agora, Donald Trump apela a uma transição pacífica, que decorrerá no próximo dia 20 de janeiro, na qual Joe Biden toma posse como 46.ª presidente dos Estados Unidos.

Donald Trump é acusado de ter sido o mentor da iniciativa que levou um grupo dos seus apoiantes a entrar em confronto com as autoridades, invadindo o Capitólio, em Washington, na quarta-feira, enquanto os membros do congresso estavam reunidos para formalizar a vitória do Presidente eleito, Joe Biden, nas eleições de novembro.

Pelo menos cinco pessoas morreram na invasão do Capitólio, anunciou a polícia, que deu conta de que tanto as forças de segurança, como os apoiantes de Trump utilizaram substâncias químicas durante a ocupação do edifício.

António Guimarães