O príncipe Andrew pode ir a julgamento nos meses entre setembro ou novembro próximo ano, na sequência de uma acusação de abuso sexual de uma menor de idade, anunciou, esta quarta-feira, um juíz federal de Manhattan, nos Estados Unidos.

Citado pela CNN, o juíz Lewis Kaplan explicou que, devido à pandemia, é difícil definir uma data exata para o julgamento, tendo em conta as medidas de distanciamento físico no júri.

O caso envolve uma mulher, Virginia Giuffre, que diz ter sido traficada por Jeffrey Epstein e forçada a ter relações sexuais com os seus amigos, incluindo o filho da rainha Isabel II.

De acordo com Giuffre, os abusos ocorreram em Londres, Nova Iorque e nas Ilhas Virgens, e  Andrew tinha noção de que tinha apenas 17 anos na altura.

Numa moção de rejeição apresentada no passado dia 29 de outubro, o advogado do príncipe adianta que Andrew “nega inequivocamente as alegações falsas” de que é alvo.

Os advogados de Giuffre devem responder à respetiva moção até 29 de novembro, e os advogados do príncipe Andrew têm direito de respeito até 13 de dezembro.

Beatriz Céu