Os cinco homens acusados de abusar sexualmente uma rapariga, durante as Festas de São Firmino em 2016, viram o  Tribunal Superior de Navarra negar-lhes o recurso e confirmar a sentença da primeira instância. O grupo, que ficou conhecido como La Manada, foi condenado a nove anos de prisão preventiva. 

A decisão surge meses depois dos membros grupo, José Ángel Prenda, Alfonso Jesús Cabezuelo, Ángel Boza, Jesús Escudero e Antonio Manuel Guerrero, terem sido colocados em liberdade provisória, após o pagamento de uma fiança de seis mil euros. A decisão causou uma onda de indignação em Espanha e levou milhares a sair à rua em protesto. 

Um dos acusado revelou já que vai apresentar um novo recurso ao Supremo Tribunal de Espanha, a mais alta instância da justiça no reino de Espanha. Sobre a sentença, fica ainda o pedido do Supremo Tribunal de Navarra para que a pena seja revista depois de ter aceite um recurso da vítima. Caso este recurso seja aceite, a pena pode ser elevada. 

A 7 de julho de 2016, durante as festas de São Firmino, o grupo de amigos levou uma rapariga de 18 anos, natural de Madrid, para o vão de escadas de um prédio e obrigaram-na aí a ter relações sexuais com todos os membros. A jovem foi encontrada por um casal na rua a chorar, a polícia foi chamada ao local e os suspeitos foram detidos horas depois.

Além deste caso, quatro dos cinco acusados respondem por outro crime de violação semelhante, que ficou conhecido por "Bela Adormecida"