A viúva de um passageiro que morreu no desastre aéreo da Ethiopian Airlines está a processar a Boeing, numa ação judicial em que reclama 276 milhões de dólares (perto de 247 milhões de euros).

O desastre com o modelo 737 Max da Boeing foi o segundo num curto período de tempo. Este acidente, ocorrido a 8 de março, vitimou 157 passageiros. Desde então várias famílias moveram vários processos judiciais contra a construtora norte-americana. Em outubro de 2018 um acidente com um avião do mesmo modelo fez 189 mortos, na Indonésia.

A francesa Nadege Seex perdeu o marido Jonathan Seex no voo da Etiópia e colocou um processo em tribunal contra a Boeing, pedindo quase 250 milhões de euros, alegando que a construtora confiou num único sensor que já tinha sido referenciado em cerca de 200 acidentes à federação americana de aviação, segundo informou Nomaan Husain, o advogado da queixosa.

A queixa, que foi apresentada na segunda-feira, afirma que a Boeing falhou em informar os pilotos sobre os riscos do software do modelo 737 Max. Esta anomalia tecnológica fazia com que os pilotos não conseguissem interpretar dados contraditórios em relação aos parâmetros de voo. Resumidamente, o sistema fazia com que o avião descesse o nariz caso o software detetasse uma perda de sustentação. Sendo os dados contraditórios, isso levava a que o piloto não percebesse o que devia fazer, entrando em perda de controlo da aeronave.

Já no início do mês de maio a Boeing admitiu que tinha conhecimento das falhas naquele modelo de aeronave, mas a empresa disse que o problema “não tinha impacto adverso na segurança e operacionalidade dos aviões”.

Este pedido de indemnização junta-se a muitos outros pedidos à Boeing como consequência dos desastres na Indonésia e na Etiópia, que mataram um total de 346 pessoas.

A Boeing agiu com cinismo. O meu marido foi um dano colateral de um sistema, de uma estratégia de negócio”, disse Nadege Seex

O advogado de Nadege explicou aos meios de comunicação que chegou aos 276 milhões de dólares, depois de dividir os lucros da Boeing em 2018 (101 mil milhões de dólares) pelos dias do ano (365).