O governo francês anunciou esta terça-feira que vai banir gradualmente o uso de animais selvagens em espetáculos, nomeadamente no circo. A medida está incluída num pacote de leis que tem como objetivo garantir mais segurança animal e evitar o desaparecimento de espécies em vias de extinção.

Assim, o Ministério da Ecologia francês emitiu um decreto que impede que seja atribuída qualquer licença a novos estabelecimentos móveis que contenham animais selvagens.

A nossa atitude em relação aos animais selvagens mudou", disse a ministra da Ecologia Barbara Pompili.

Foi ainda anunciado um impedimento à clausura de visons para a venda de peles, tal como o cativeiro de orcas e de golfinhos em parques aquáticos.

A decisão foi vista como um triunfo histórico por grupos de defesa animal.  Para que seja posta em prática, o governo francês vai fornecer um pacote de ajuda de mais de 8 milhões de euros de forma a que exista uma mudança no modelo de negócios deste tipo de estabelecimentos.  

É altura de iniciarmos uma nova relação com estes animais", disse Pompili, sublinhando que "chegou a hora de a nossa fascinação ancestral com estes seres selvagens não terminar com a sua subjugação". 

A medida abrangerá cerca de 80 circos, somando mais de 230 animais, como leões, elefantes, tigres, hipopótamos, lobos, entre outros.

Segundo a Reuters, cerca de 20 países europeus já proibiram ou limitaram a presença de animais selvagens em circos.