O quadro “Girl with Balloon” deveria ter-se autodestruído por completo durante o leilão que decorreu na Sotheby's, em Londres, no passado dia 5, lamentou o seu autor, o anónimo Banksy.

Num vídeo divulgado nesta quarta-feira no seu site, o artista mostra imagens de um ensaio, que correu como esperado, ou seja, com a destruição total da obra. “Nos ensaios, funcionou sempre”, consta numa das legendas.

No vídeo, que também tem imagens inéditas do leilão, é possível ver a preparação do "grande final" com a instalação de uma trituradora portátil na parte de trás do quadro e ainda alguém, não identificado, mas que Banksy disse ser ele próprio, a carregar num comando para dar início à destruição do quadro.

O diretor de arte contemporânea da Sotheby's, Alex Branczik, garantiu já que a casa de leilões não tem qualquer implicação no sucedido, depois de surgirem relatos de que se tratou de um "trabalho interno".

O triturador não foi detetado pela equipa da Sotheby’s, porque, quando questionámos a sua dimensão, disseram-nos que era parte da estrutura fundamental do quadro. O que acabou por ser, mas não como pensámos”, explicou Alex Branczik ao The Art Newspaper.

A Sotheby’s anunciou que a pintura, após destruição, foi renomeada como "Love is in the Bin". O licitante vencedor avançou com a compra, mesmo após a destruição, e já há interesse na compra do quadro destruído.